Noticias EMS

Roubo de carga no Brasil: uma visão geral do problema

De acordo com informações da Associação Nacional do Transporte de Carga e Logística (NTC) e do Guia do TRC, entre 2010 a 2016 o roubo de carga no Brasil teve um aumento de 48% em seus níveis. Isso, por consequência, gerou um prejuízo na ordem de mais de R$ 8 bilhões para as empresas. Ou seja, esse tipo de crime vem crescendo ano após ano e, por isso, precisamos estar muito atentos a essa questão.

Esse quadro é em especial alarmante para a região Sudeste do país, especialmente os estados de São Paulo e Rio de Janeiro, uma vez que a região representa mais de 80% dessa totalidade. Entretanto, outras regiões também demonstram indicadores em evolução.

Quais os principais alvos de roubo de cargas no Brasil?

Hoje, podemos constatar que os principais alvos dos criminosos têm sido os produtos alimentícios, eletroeletrônicos e cigarros, uma vez que possuem muita liquidez e um alto valor agregado.

Apesar disso, em vista dos altos índices de roubos, tem havido um crescimento também em outros produtos e, nesse sentido, vemos que há alarmantes registros de roubos de materiais químicos e farmacêuticos.

Isso, infelizmente, vem apenas para fomentar o ciclo criminoso, trazendo lucro aos atravessadores e criando um ciclo de corrupção por parte de funcionários públicos e também de atividades subsidiárias dos traficantes de droga.

Como ocorre o roubo de carga no Brasil?

A dinâmica dos ataques, normalmente compreende às obtenção de informações privilegiadas dos criminosos. Eles escolhem o alvo de forma bem seletiva e preparam cuidadosamente a interceptação do veículo.

Muitas vezes essa abordagem pode ocorrer mesmo em áreas urbanas, porém, a grande incidência realmente ocorre nas estradas. Os bandidos então rendem o motorista, fazem a transferência da carga para outros veículos e, no momento oportuno, com o crime já exaurido, repassam aos atravessadores.

O que tem sido feito para evitar o roubo de carga no Brasil?

Hoje no Brasil diversas medidas vêm sendo adotadas na tentativa de reduzir estas ocorrências criminosas. A mais comum delas é sem dúvidas a contratação de equipes de escoltas armadas e rastreamento da carga, mas, claro, só isso não tem sido o suficiente.

O Estado de São Paulo, um dos maiores focos desse tipo de ocorrência, por meio da Lei 15.315/14 criou uma medida a mais na tentativa de combate a esse tipo de crime. Segundo o texto, aqueles que forem pegos adquirindo produtos de origem ilícita, serão punidos com a cassação da licença de inscrição no ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e prestação de Serviços).

Como as empresas de segurança ajudam nesse processo?

Empresas de segurança vêm fazendo diversos investimentos na área de proteção, seja com treinamentos especializados para seu corpo de funcionários, tecnologias, novos tipos de veículos, entre outras.

Essas ações vêm criando, sem dúvidas, uma grande dificuldade para a ação de criminosos, além de outras vantagens em termos de valor do seguro e aproveitamentos das infraestruturas e know-how das empresas de transporte de segurança

Por fim, mesmo com esse tipo de medidas, sabemos que o cenário exige medidas complementares por parte do poder público. Ou seja, é preciso haver maior respeito, investigações, identificação e prisão dos criminosos.

Apenas com um trabalho em conjunto das empresas privadas e governo, será capaz de fazer frente a essa incidência criminal e, assim, acabar com o roubo de carga no Brasil.

 

Fonte: GlobalSeg
Leia mais: https://goo.gl/EYaQaP

Comments are closed.