Noticias

Banner Site

Polícias, Finanças e ACT juntos em operações para fiscalizar seguranças privados

O Ministério da Administração Interna (MAI) quer passar a ter equipas multidisciplinares, compostas por polícias, inspetores das Finanças, da Segurança Social e da Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT), em operações montadas para fiscalizar a atividade dos vigilantes e dos seguranças privados. O objetivo é tornar mais eficaz a inspeção a este setor, por vezes conotado com fenômenos criminais associados à animação noturna ou outros meios, explicou ao PÚBLICO fonte do MAI.

“O ministério quer regulamentar o setor para que a atividade seja um complemento da segurança interna e não uma fonte de instabilidade”, justifica fonte oficial do MAI. O ministério já anunciou que no próximo ano todos os candidatos a seguranças terão de prestar provas teóricas na PSP para conseguirem a licença que lhes permitirá exercer a profissão.

As equipas conjuntas foram sugeridas por um grupo de trabalho criado pelo Governo em Setembro do ano passado com o objetivo de apresentar um relatório sobre o estado da segurança privada, com especial incidência nos fenômenos criminais e contra ordenacionais registrados no setor.

Banner Site

Risco da escolta clandestina no mercado de seguro é debatido em encontro do CIST

A eficiência da escolta armada no mercado de transporte brasileiro pode chegar a 97%. Essa foi a estatística apresentada pelo presidente do Sindicato das Empresas de Escolta do Estado de São Paulo (SEMEESP), Autair Iuga, durante o encontro mensal do Clube Internacional de Seguros de Transporte (CIST), realizado no dia 20 de outubro, em São Paulo (SP).

O evento reuniu mais de 90 especialistas dos mercados de seguro e segurança e serviu para mostrar um pouco o dia a dia das empresas que atuam no mercado de escolta. A atividade é regulamentada pela lei federal 7.102/83, que disciplina o setor e estabelece uma série de exigências para o serviço. Dentre elas estão a exigência de cadastro na Polícia Federal, o uso de veículo devidamente equipado para a função e vigilantes especializados.

“Por desconhecimento da atividade, muitos contratantes fazem uso, por exemplo, de motocicletas na escolta, que além de ilegal, ou seja, atividade clandestina, traz uma série de prejuízos para o transportador / embarcador,

Fim de ano premiado - escola mineira de segurança

REGULAMENTO DA CAMPANHA PROMOCIONAL DE CURSOS E RECICLAGEM DE VIGILANTES

1 – DA CAMPANHA PROMOCIONAL: Esta campanha promocional (“Promoção – CURSOS E RECICLAGENS DE VIGILANTES”) é instituída pela Escola Mineira de Segurança Ltda. (EMS), com sede na cidade de Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais, na Av. Amazonas, 491, 17º e 18º andares, Centro, inscrita no CNPJ sob o n° 05.845.911/0001-33.
Esta promoção é dirigida a todas as pessoas que pretendem se matricular nos cursos de formação de vigilantes, extensão em transporte de valores, extensão em escola armada, extensão em segurança pessoal, extensão para grandes eventos e cursos de reciclagem de formação de vigilantes, reciclagem em transporte de valores, reciclagem em escolta armada, reciclagem em segurança pessoal da EMS e tem o objetivo de incrementar a sua atividade comercial mediante oferecimento de preços promocionais para matrícula.
2 – DO PERÍODO DE VIGÊNCIA: Esta promoção terá início em 31/10/2016 às 16:00(horário de Brasília) e tem seu período de vigência indeterminado. Dessa forma, será beneficiado pelo desconto promocional no preço do curso quem se matricular e efetivamente realizar o pagamento do valor no Período de Vigência.

Banner Site

PF MIRA SEGURANÇA PRIVADA

A clandestinidade encontrou terreno farto em Alagoas quando se fala em serviços de segurança privada. A Polícia Federal (PF) é a instituição responsável por investigar as denúncias, procedimento feito anualmente por oito agentes onde houver demanda nos municípios alagoanos. As irregularidades podem ser detectadas ainda na formação de vigilantes ou mesmo no efetivo de um grande centro de compras como um shopping, por exemplo.

Os quatro cursos de formação de vigilantes para a segurança privada oferecidos em Maceió e Arapiraca apresentam situação regular. O mesmo não acontece com um condomínio e um shopping em Maceió. “Existem serviços que registram funcionários como porteiros, mas que, na verdade, eles estão exercendo a função de vigilante. Isso não pode”, afirma o agente da PF, Anderson de Abreu.

Ele informou, ainda, à Gazeta de Alagoas que, atualmente, estão sendo investigadas três atividades (pessoas e empresas) clandestinas de segurança privada em Alagoas. “Acontece que recebemos muitas denúncias que a fiscalização é de responsabilidade da segurança pública e não nossa”,

Banner Site

Segurança privada fatura bilhões e emprega mais que a polícia

Na contramão da economia, setores ligados à segurança privada passam longe da crise, enquanto poder público não consegue frear a violência

A escalada da criminalidade e a incapacidade do poder público de conter o avanço da violência cunham ao mesmo tempo as duas faces da moeda da economia. De um lado, oneram empresas e consumidores, que passam a pagar mais caro por produtos e serviços devido ao custo crescente da busca por proteção. De outro, são combustível para o avanço da segurança privada, que ocupa o vácuo deixado pelo aparato estatal e cresce a altas taxas no país, a despeito da recessão.

Enquanto o PIB brasileiro derreteu 3,8% ano passado e deve ter nova queda acima de 3% em 2016, as companhias que oferecem serviço de vigilância e monitoramento parecem não ter sentido a crise. Dados da Federação Nacional de Empresas de Segurança e Transporte de Valores (Fenavist) mostram que o faturamento do setor, em 2015, chegou a R$ 50 bilhões, avanço nominal de 8,6% sobre 2014.

Fim de ano premiado - escola mineira de segurança

1º TERMO ADITIVO AO REGULAMENTO DO SORTEIO PROMOÇÃO DE FIM DE ANO DA ESCOLA MINEIRA DE SEGURANÇA

I – O item “2” do Regulamento do Sorteio passa a vigorar com a seguinte redação:
“2 – Poderá participar de Natal da ESCOLA MINEIRA DE SEGURANÇA e do sorteio do prêmio os novos alunos que se matricularem em algum dos cursos no período de 10/10/2016 à 21/12/2016.
2.1 – Ex alunos da ESCOLA MINEIRA DE SEGURANÇA terão acesso ao CUPOM DE INDICAÇÃO, que ao ser apresentado pelo novo aluno (indicado) que efetivar matrícula no período de 10/10/2016 a 21/12/2016 (período da promoção), dará ao ex aluno o direito de receber um cupom para participar do sorteio do prêmio (1 Moto Honda CG 160 FAN 0 km).”
II – O item ‘19” do Regulamento do Sorteio passa a vigorar com a seguinte redação:
“19 – Funcionários e empregados da ESCOLA MINEIRA DE SEGURANÇA poderão participar desta promoção e do sorteio, desde que efetivem a matrícula em algum curso, sem descontos, e se enquadre nas demais regras deste Regulamento”.

III – Os demais itens do Regulamento permanecem inalterados e vigentes.

Fim de ano premiado - escola mineira de segurança

REGULAMENTO DO SORTEIO – PROMOÇÃO DE FIM DE ANO DA ESCOLA MINEIRA DE SEGURANÇA

1 – O sorteio do prêmio descrito no item 5 deste Regulamento será promovido pela ESCOLA MINEIRA DE SEGURANÇA LTDA., com endereço na Av Amazonas, nº 491 – 18º – Centro – Belo Horizonte/MG, CEP: 30.180-001, inscrito no CNPJ sob nº 05.845.911/0001-33, que seguirá as disposições abaixo.
2 – Poderá participar da Promoção de Natal e do sorteio do prêmio aquele que, no período de 10/10/2016 a 21/12/2016, efetivar matricula em qualquer curso oferecido pela ESCOLA MINEIRA DE SEGURANÇA.
2.1. Aluno matriculado em turma de reciclagem proveniente de encaminhamento de empresas, só terá direito de participar da promoção e do sorteio se indicar uma pessoa para realizar um curso na ESCOLA MINEIRA, devendo esta pessoa efetivar sua matrícula no período descrito no item 2.
3 – Só terá direito ao cupom para participar do sorteio o aluno que efetivar a matrícula mediante o respectivo pagamento, cumprir os requisitos exigidos pela Portaria 3233/12 do Departamento de Polícia Federal para a realização dos cursos, apresentar atestado de aptidão psicológica e avaliação médica,

Banner Site

PF encontra pistolas falsas em carros que faziam “escolta armada” de ônibus

Policiais Federais do Grupo de Polícia Fazendária (GPfaz) encontraram armas falsas em dois carros que supostamente faziam escolta armada de ônibus, durante uma fiscalização em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, nesta quarta-feira (28).

Após a vistoria, a PF verificou que a empresa atua na área de monitoramento, e não é autorizada a fazer escoltas armadas. O fato de os carros terem pintura parecida com a usada pela própria PF, também chamou atenção dos policiais.

Segundo a Polícia Federal (PF), os carros foram parados na BR-277 e, durante revista, foram encontrados quatro simulacros – cópias idênticas a armas originais, mas sem poder de fogo –, sendo três de pistola e um de espingarda calibre 12.

Os ocupantes dos veículos informaram aos policiais que chegaram a Foz do Iguaçu na manhã desta quarta-feira, depois de escoltar três ônibus de turismo vindos de Curitiba.

Quatro pessoas foram encaminhadas à Delegacia da PF em Foz do Iguaçu para prestar esclarecimentos.

Banner Site

Vigilante receberá horas extras por curso de reciclagem feito nos dias de folga

A Quarta Turma do Tribunal Superior do Trabalho condenou a VSG – Vigilância e Segurança em Geral Ltda. a remunerar como horas extras o tempo gasto por um vigilante patrimonial com curso de reciclagem obrigatório feito nos dias de folga. A decisão teve fundamento na jurisprudência do TST no sentido de que o período dos cursos obrigatórios realizados fora da jornada normal de trabalho tem de ser pago como serviço extraordinário, pois representa tempo à disposição do empregador.

Na ação judicial, o vigilante relatou que participava de uma capacitação por ano, e pediu o pagamento das horas por acreditar ser a empresa a única beneficiária da atividade de aperfeiçoamento profissional. Por outro lado, a VGS afirmou que a reciclagem ocorria a cada dois anos, por cerca de 4h, e apresentou convenções coletivas da categoria que excluíam do cálculo da jornada extra o período no qual o trabalhador participava do curso.

O juízo da 2ª Vara do Trabalho de Vitória (ES) julgou improcedente o pedido.

Banner Site

Área de segurança está em alta com salários de até R$30 mil

A procura por executivos para o comando da área de segurança de grandes empresas vem crescendo nos últimos tempos. “Em cinco anos, a demanda quadruplicou”, diz Lucas Rizzardo, gerente da Michael Page, consultoria de recrutamento executivo. Neste ano, o crescimento registrado foi de 50% no primeiro semestre, em relação ao mesmo período de 2015.

Embora tenha havido alta na demanda, não se trata de uma posição com muitas oportunidades. É um profissional relativamente raro e com muitas nomenclaturas. Em português pode ser gerente de segurança, gerente de segurança patrimonial, gerente de segurança patrimonial e prevenção de perdas.

Cargo estratégico em multinacionais, também pode ser chamado por nomes em inglês como, por exemplo, security manager, loss prevention manager, country security manager e por aí vai. Inglês fluente é requisito primordial nesses casos, um desafio para recrutadores, já que a exigência acaba barrando muitos candidatos. O idioma é uma ferramenta de trabalho para gerentes que, muitas vezes, se reportam a diretores de segurança na matriz no exterior ou em unidades da América Latina.