#EmsNews - Notícias escola mineira de segurança

As 7 principais características de um bom profissional de segurança

O aumento da criminalidade tem elevado, cada vez mais, a preocupação com segurança nas grandes cidades do país. Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo de 1999 a 2015, os números de registros de furto e roubos subiram quase 20% no estado.

Desta forma, empresas, condomínios e cidadãos em geral, têm buscado aprimorar cada vez mais seus sistemas, além de sempre contar com um bom profissional de segurança.

Dentro desse contexto, os recursos humanos possuem papel fundamental para um sistema de segurança de qualidade: é fundamental contar com profissionais capacitados e bem treinados, incluindo tanto a equipe de vigilância quanto a de portaria.

Assim, para lhe ajudar a sempre contar com os melhores profissionais para sua empresa, nesse post trouxemos uma lista com as principais características de um bom profissional de segurança.

 

As 7 principais características de um bom profissional de segurança

1- Boa apresentação pessoal

Começando por um item básico, o conceito “Apresentação pessoal” envolve desde a aparência física e a higiene pessoal, até a postura de um bom profissional de segurança.
Este tipo de cargo, pelo serviço prestado, exige uma apresentação pessoal conservadora e sóbria e, portanto, qualquer traço de extravagância ou informalidade deve ser evitado.
Profissionais com boa apresentação pessoal transmitem melhor uma imagem de profissionalismo, atenção e preparo, aumentando a sensação de segurança nos locais onde atuam.

2- Cordialidade e simpatia

Muitos vigilantes confundem cumprir procedimentos, com falta de educação e brutalidade.
Ao contrário disso, a cordialidade e simpatia são características importantes para um bom profissional de segurança, pois além de ser positivo para a imagem da organização que ele representa, propicia que as regras sejam cumpridas sem gerar atritos desnecessários.
Por isso, esse tipo de pessoa deve aprender a dizer “não” de forma determinada, convincente e educada, para que se faça cumprir um regulamento que esteja sendo desobedecido. Mas, deve-se também ser sempre atencioso com quem solicita uma informação, procurando ajudar no que for necessário.
Assim, ao fazer com que uma ordem seja cumprida, é vital sempre tomar bastante cuidado para não transparecer arrogância, autoritarismo ou qualquer tipo de brutalidade.

3- Disciplina e responsabilidade

Entende-se por responsabilidade e disciplina a capacidade de cumprir constantemente as rotinas e procedimentos estabelecidos.
No ramo da segurança, esse ponto é especialmente crítico, em virtude das longas jornadas a que os profissionais geralmente são submetidos e da falta de ação na maioria do tempo. Por isso, não é fácil manter uma postura atenta durante uma jornada de 12 horas, sem se desviar das funções estabelecidas.
Assim, nem todo mundo possui perfil adequado para cargos de segurança. Portanto, é muito importante investigar experiências anteriores e o desempenho na função que a pessoa realiza a fim de encontrar um bom profissional de segurança.

4- Atenção e boa memória visual

O profissional de segurança deve estar sempre atento a todas as situações que podem produzir indicativos de riscos ao local.
Luzes acesas que deveriam estar apagadas, portões e janelas abertos que deveriam estar fechados, barulhos estranhos, circulação de pessoas estranhas, carros que passam sucessivamente na frente da rua. Nada deve escapar a um bom profissional de segurança.
Para isso, uma boa memória visual se faz fundamental. Ser capaz de guardar fisionomias, placas de carro, modelos e cores de veículos ajudam bastante a melhorar o desempenho do sistema de segurança.
Pode-se dizer, sem exagero, que a atenção e a boa memória visual são primordiais para a ação preventiva da segurança.

5- Sigilo e discrição

Os profissionais que atuam na área de segurança devem manter o mais absoluto sigilo sobre as informações, comentários, documentos, patrimônio, especificações ou inovações a que eventualmente venham ter acesso no exercício de suas funções.
A divulgação de tais informações traz prejuízos para o sistema de segurança e, especialmente, para a confiabilidade do profissional que a está divulgando.
Em hipótese nenhuma se deve fazer comentários sobre a organização em que trabalha, ou sobre o patrimônio dos clientes, fora do expediente de trabalho. Jamais se deve fornecer informações sobre a empresa ou condomínio, caso seja abordado pessoalmente ou por telefone.
Para esses casos, o vigilante deve ser sempre instruído a responder sempre educadamente que “não está autorizado a fornecer nenhuma informação”.

6- Boa comunicação

A boa comunicação verbal e escrita é uma ferramenta indispensável para um bom profissional de segurança.
Saber se expressar corretamente, de forma polida, formal, sem gírias e sem erros de português, transmite confiabilidade, autoridade e credibilidade à equipe de segurança, facilitando o cumprimento dos procedimentos.
É importante saber sempre se expressar de forma objetiva e pausadamente, com um tom de voz adequado — nem muito alto, nem muito baixo — garantindo sempre que o interlocutor esteja entendendo a mensagem transmitida.
Entretanto, muitas vezes ao contrário do que se imagina, dentro do processo de comunicação tão importante quanto transmitir informações é saber recebê-las, seja de forma escrita ou verbal.
Assim, um bom profissional de segurança deve saber escutar e ser capaz de ler com atenção. É importante sempre olhar e prestar atenção a quem está falando, não só por uma questão de respeito, mas para fazer com que a pessoa se sinta ouvida.

7- Boa capacidade de reação

Por fim, é fundamental ter boa capacidade de reação, no momento de lidar com sinistros. Afinal, essa é uma característica fundamental para um bom profissional de segurança.
Muitos, ao se defrontarem com situações de emergência, tornam-se incapazes de tomar atitudes básicas, preliminarmente definidas em procedimentos. Alguns são muito afobados e tomam atitudes precipitadas, enquanto outros simplesmente “travam” e são incapazes de uma atitude simples como apertar um botão de pânico.
Nesses momentos, a equipe de segurança eficiente deve ser calma e ao mesmo tempo proativa, corajosa e ágil para que as ações definidas em procedimentos sejam fielmente cumpridas.

 

Fonte: GlobalSeg
Leia mais: https://goo.gl/BYFhY7

Comments are closed.